20 abril 2015

Buenos Aires

Plaza De La Republica, Buenos Aires
Sempre tive muita vontade de conhecer Buenos Aires, a “Paris” da América do Sul, com sua arquitetura opulenta, sua cultura e todos aqueles encantos que me chegavam através de relatos e leituras. Quando finalmente tive a oportunidade de conhecer a cidade as minhas expectativas não só foram correspondidas como também superadas. A capital portenha é de fato uma cidade que vale a pena ser visitada.

Este texto pode servir de referência mas não como guia. A única observação que faço é que não vale a pena ficar preso a roteiros prontos, defina quais são os seus interesses e faça você mesmo o seu. Esqueça bobagens como “Quem não for a um show de tango em Buenos Aires, não foi a Buenos Aires”. O meu foco, por exemplo, era a arquitetura da cidade e a sociedade portenha, logo, não fui a nenhum show de tango apesar das muitas ofertas. Segue então um pouco da minha passagem por Buenos Aires.

Agência de Viagem.

É possível sim viajar sem intermediação de uma agência de viagem, mas isso requer muito planejamento e pesquisa e eu não estava muito afim. A experiência de uma agência pode ser bem mais vantajosa do que a economia de alguns “caraminguás”. Contratei um pacote com passagens aéreas, transfer e hospedagem e isso foi fundamental pois a agência me colocou em um hotel tão bem localizado que conheci a maioria dos principais pontos turísticos de Buenos Aires a pé. Levando-se em consideração que taxi por lá já não é tão barato, isso fez toda a diferença.

Fiquei no Gran Hotel Orly, no boêmio bairro do retiro, o prédio, como a maioria das construções em BsAs, é antigo, a mobília também é bem velhinha, mas no geral o hotel é confortável, a higiene é satisfatória, tem serviço wi-fi gratuito e os funcionários são atenciosos. O café da manhã é repetitivo, mas farto. A localização é espetacular, perto de tudo o que eu planejei conhecer.



Gran Hotel Orly: Ótima localização
O hotel fica literalmente ao lado da Rua Florida, uma das principais ruas de BsAs. São 10 quarteirões de lojas onde você encontra de tudo: Restaurantes, lojas de artigos de couro, lojinhas de souvenires e agências de turismo que vendem principalmente passeios pela cidade e shows de tango. Foi em uma dessas agências, e por indicação de brasileiros que estavam hospedados no mesmo hotel, que eu fiz o “câmbio”, ou seja, troquei reais por pesos argentinos. Não faça o câmbio no aeroporto, é uma roubada. O cuidado que se deve ter é evitar os cambistas soltos, prefira os locais fixos e por indicação.


Obelisco de Buenos Aires
Na avenida 9 de julho podemos encontrar o famoso Obelisco, um dos principais ícones da capital portenha, tem 67 metros de altura e é um monumento histórico nacional. Está localizado na Praça da República. Vale a foto.

Teatro Cólon
Ainda na 9 de julho uma das construções mais bonitas que tive a oportunidade de visualizar, o teatro Cólon, considerado um dos mais belos do mundo. Por ter uma acústica perfeita está entre os 5 melhores teatros de ópera do mundo. A estrutura pode assustar mas assistir a uma peça no Cólon não é caro.

La Bombonera
No tradicional bairro “La Boca” está o lendário estádio de futebol “La Bombonera”, lar de um dos clubes de futebol mais vitoriosos do mundo, o Boca Júniors. Paga-se um valor para entrar na área das arquibancadas e com isso pode-se visitar também o museu do Boca. Para essa visita contratei um passeio. Embora eu não goste muito foi necessário por uma questão de logística, pois queria visitar a cidade de Tigre e ir pra lá de forma independente tomaria muito tempo. Não foi caro e incluiu o passeio pelo rio tigre a bordo de um catamarã. O bom desse passeio foi que pudemos ter uma noção da cidade e revisitar alguns locais no dia seguinte.

El Caminito
Ainda no tradicional bairro “La Boca”, na rua “Caminito”, as réplicas dos chamados “conventillos” (cortiço para nós), principais moradias dos imigrantes que chegavam em BsAs a partir do início do século XX. Sinceramente achei esse lugar super chato, pouco atrativo e muito comercial. Fazia parte do roteiro do passeio, mas não faria falta.

Passeio pelo Delta del Tigre no Catamarã
Belas propriedades às margens do rio Tigre

Município de Tigre
Localizado a cerca de 33 km de Buenos Aires tem como uma das atrações principais suas ilhas e rios que fazem parte do Delta Del Tigre. Lá é possível passear de Catamarã e apreciar as belas propriedades e a beleza natural da região. Vale muito a pena.

Casa Rosada

Interior da Casa Rosada

Interior da Casa Rosada

Interior da Casa Rosada
O domingo é um dos dias mais proveitosos em Buenos Aires. É o melhor para se conhecer a Casa Rosada, sede do poder executivo da Argentina, que fica em frente a Plaza de Mayo. O domingo é indicado porque é o dia onde se pode fazer uma visita guiada pelo interior da Casa. O passeio é totalmente gratuito e o visitante pode conhecer até mesmo o gabinete onde trabalha o presidente. Logo após a visita, bem ao lado, tem a tradicional Feira de San Telmo onde se pode comprar lembrancinhas, antiguidades, artesanatos, comidas da região, livros, etc. Há também nos 18 quarteirões da feira bares e cafés onde o visitante pode sentar e relaxar aproveitando o ar do charmoso bairro de San Telmo. Por volta das 17h tem a cerimônia da troca de guarda da Casa Rosada, cerimônia que acontece uma vez por semana. É uma oportunidade única. Portanto fica a dica, reserve o domingo para conhecer a Casa Rosada, a feirinha de San Telmo, a Catedral Metropolitana de Buenos Aires e acompanhar a troca de guarda.

Cerimônia de troca de guarda da Casa Rosada

Cerimônia de troca de guarda da Casa Rosada

Cerimônia de troca de guarda da Casa Rosada

Ainda ao lado da Plaza de Mayo, outro ponto turístico da capital argentina, a Catedral Metropolitana de Buenos Aires. Era nesse maravilhoso prédio que o então cardeal Jorge Mario Bergoglio (hoje Papa Francisco) celebrava as suas missas dominicais.

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Interior da Catedral Metropolitana de Buenos Aires
No elegante bairro da Recoleta quem visita Buenos Aires pode encontrar várias atrações turísticas. O cemitério da Recoleta, por exemplo, é morada final de importantes membros da história argentina, dentre os quais destaco o mais famoso de todos, Maria Eva Duarte Perón, a “Evita” e o ex-presidente da Argentina Raúl Ricardo Alfonsín. Além disso, o cemitério da Recoleta é uma obra de arte arquitetônica a céu aberto.

Cemitério da Recoleta
Mausoléu da Família Duarte, onde está sepultada Evita Perón
Ainda na Recoleta, bem próximo ao cemitério, visitei a “Floralis Generica”, uma escultura que representa todas as flores do mundo. Foi projetada para acompanhar o movimento do sol e se fechar quando o astro rei se põe, porém com pouco tempo de uso o mecanismo se quebrou. Agora, depois de 7 anos o sistema está sendo reparado, a foto que tirei junto a “floralis” é emblemática por isso, eu estava lá nesse momento sui generis.

Monumento "Floralis Generica"

Floralis em reparo
Aproveitei que estava no bairro da recoleta e fui conhecer o prédio da faculdade de direito de Buenos Aires, vale a foto pela imponência do prédio e riqueza arquitetônica.

Faculdade de Direito da universidade de Buenos Aires
No penúltimo dia em Buenos fui ver de perto um prédio de grande importância cultural e arquitetônica para a cidade: O “Congreso de la Nación Argentina”, sede do poder legislativo, o equivalente ao nosso congresso nacional. Posteriormente, e bem próximo ao congresso, fui visitar o misterioso Palácio Barolo.

Congreso de la Nación Argentina
O Barolo foi construído no início do século XX e é um edifício emblemático da cidade, já foi o prédio mais alto da América do Sul. Foi concebido pelo arquiteto Mario Palanti, o mesmo que projetou o lendário Palácio Salvo em Montevidéu. Encomendado pelo empresário Luigi Barolo, fã da obra “A divina comédia” de Dante Alighieri, é inspirado no clássico que retrata uma viagem imaginária de Dante ao inferno, purgatório e céu. Assim o Barolo é dividido em três partes: o térreo representa o inferno, os 14 andares intermediários representam o purgatório e a parte mais estreita que representa o paraíso. No alto da torre há um farol de luz que representa Deus.

O misterioso Palácio Barolo

Palácio Barolo
O prédio tem 100 metros de altura, o mesmo número de cantos da Divina Comédia e 22 pisos, cada um contendo 22 escritórios, mesmo número de estrofes dos versos da obra. O Barolo foi inaugurado no dia 7 de junho, aniversário de Dante e, segundo consta, Barolo sonhava em levar as cinzas do poeta para Buenos Aires e colocá-las no edifício. Claro que isso não aconteceu.

Por fim...

É claro que Buenos Aires não é só isso, eu mesmo visitei outros lugares e fiz outras coisas, porém o texto serve como referencia, principalmente para quem gosta de arquitetura e história como eu. O que posso acrescentar além disso? Vamos lá:

Comer em Buenos Aires é relativamente barato, beber cerveja nem tanto. Os argentinos adoram os “combos” que incluem uma entrada, um prato principal, uma bebida e uma sobremesa. As porções são bem servidas. A cerveja infelizmente é cara, então a ordem é beber com moderação.

Contrariando todos os estereótipos possíveis achei os argentinos solícitos e extremamente educados, sempre dispostos a ajudar. Quando pedíamos alguma informação nas ruas paravam dois ou três portenhos para tentar nos socorrer.

Em termos de segurança achei Buenos Aires bastante segura, em momento algum me senti ameaçado ou em perigo na capital portenha, mesmo andando pelas ruas durante de dia, à noite e também de madrugada. As pessoas vivem despreocupadas, atendem seus celulares, as mulheres andam com bolsas, turistas ostentam suas câmeras fotográficas, jóias, etc. Não há aquele clima de medo e tensão quando se sai às ruas aqui no Brasil. Claro que em lugar nenhum do mundo hoje em dia você pode se descuidar, mas Buenos Aires é bem tranquila em comparação com o Brasil.

Não deixe de visitar o elegante bairro de Palermo, é como estar na Europa, só que em plena América do Sul.

Quando você vai embora de Buenos Aires fica sempre com aquele gostinho de “quero mais”, então é hora de começar a planejar uma data para retornar à capital da Argentina. Vou fazer isso, afinal, seria injusto terminar os meus dias sem rever essa cidade fantástica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário