26 setembro 2017

Gramado e Canela - RS


Linda, organizada, segura, florida, verde e repleta de opções; assim é Gramado, talvez o principal destino turístico do país. Se pretende visitar a cidade prepare o bolso pois nada por lá é barato. Mas não se preocupe, o dinheiro representa muito pouco diante da experiência de conhecer e curtir a cidade.

Assim que chegamos ao hotel (eu e minha noiva) e descemos da Van, percebi que a temperatura estava muito baixa e que o agasalho que eu levei não seria suficiente. Final de setembro e início de outubro com aquele frio? “Aqui é assim mesmo moço...” explicaria a vendedora da loja de roupas no dia seguinte. 

Depois do check in pedimos uma dica de restaurante na recepção do hotel. Nos indicaram um restaurante próximo, chamado “Borbulhas.” Fomos a pé e depois de uma caminhada de 10 minutos, mais ou menos, chegamos ao nosso destino. Era por volta de 23h e fomos os últimos clientes da noite. Me chamou a atenção que apesar de ser uma cidade turística e relativamente grande, bares e restaurantes fecham muito cedo em Gramado. O Borbulhas é bastante agradável, o atendimento é ótimo e a comida muito boa. Começamos bem. 

Gramado até Canela: Todo Percurso a pé
No dia seguinte decidimos que iríamos até Canela-RS, cidade vizinha e muito próxima a Gramado. A missão era, além de conhecer um pouco da cidade, comprar um casaco para mim. Um dos meus prazeres em qualquer viagem é caminhar, assim posso observar melhor os detalhes e sentir a cidade. Dei uma olhada no GPS e vi que o hotel onde estávamos era bem próximos a Canela. Decidimos fazer a nossa primeira viagem de uma cidade para outra a pé.


Chegando em Canela, antes de desbravar a cidade, uma pausa para um cerveja artesanal gramadense. Depois fui comprar o meu casaco. Um colega disse que comprar em Canela sai mais barato. Em seguida visitamos a catedral de Nossa Senhora de Lourdes, mais conhecida como "Catedral de Pedra" que é um dos pontos mais fotografados das serras gaúchas. Impressiona pela grandiosidade e arquitetura imponente. 

Catedral de Pedra (Canela - RS)
Claro que fazer o percurso Gramado - Canela a pé foi uma escolha, já que para mim caminhar tem tudo a ver com explorar o lugar que estou visitando, mas para quem não curte andar a pé o transporte público é uma ótima opção. Além de ser econômico, os ônibus passam nos pontos em horários pré-determinados. A outra opção é pegar um taxi, mas não sai barato. Depois de andar pela cidade, fazer compras e parar em uma espécie de pub para almoçar e tomar umas cervejas, fomos até a rodoviária de Canela, pegamos o ônibus e voltamos para o Hotel.

Em Gramado alguns hotéis, restaurantes e bares oferecem o trasnfer gratuito para clientes. O Hotel onde ficamos, por exemplo, disponibilizava uma Van para que os hóspedes pudessem ir ao centro de Gramado e voltar. É preciso se organizar pois os horários das corridas são pré-determinados. Alguns restaurantes vão buscar os clientes gratuitamente no hotel, basta pedir na recepção para ligar. Depois do jantar eles levam o cliente de volta ao Hotel. Foi assim que fomos parar no Cest Mieux, um restaurante aconchegante, especializado em foundue, onde as rodadas são fartas, deliciosas e que possui uma boa carta de cervejas artesanais. Apesar de tudo isso o restaurante é "barato," se levarmos em consideração os padrões de Gramado. 

Mundo a Vapor


Monumento que reconstitui o acidente na estação Montparnasse
O "Mundo a Vapor" é um misto de museu e parque temático onde o visitante encontra miniaturas de usinas hidrelétricas, locomotivas em tamanho real e em miniatura além de réplicas de oficinas do século IXX. Mas o que realmente caracteriza esse ponto turístico de Canela é o monumento que reconstitui, em tamanho real, um acidente ferroviário ocorrido em 1895, na estação Montparnasse, em Paris. No interior do Mundo a Vapor é possível ver as fotos do acidente e reproduções de jornais da época que noticiaram o ocorrido. Visite o Mundo a Vapor com calma e jamais vá através daqueles city tours oferecidos por agências de turismo. ´Para entrar no mundo a vapor é preciso pagar uma taxa.



Pórtico antigo
O pórtico de Nova Petrópolis, também conhecido como pórtico antigo (Gramado possui 2 pórticos) talvez seja a imagem que melhor identifica Gramado. Não bastasse a beleza da construção em estilo bávaro, o pórtico é circundado por belos jardins. Impossível ir a Gramado sem visitá-lo.

Lago Negro
Lago Negro
Lago Negro

O Lago Negro é um dos lugares mais bonitos de Gramado. Possui um bosque verde e florido, com pinheiros altos. É um local romântico que traz uma sensação de paz interior e tranquilidade. No enorme lago artificial que dá nome ao lugar, o visitante pode passear de pedalinho ou simplesmente caminhar em sua volta e apreciar a beleza. Há também lojas de lembrancinhas, artesanatos, música e restaurantes. Sentar em um desses locais e passar um tempo meditando e apreciando a exuberância do lugar é algo para se guardar na memória.

Igreja Matriz São Pedro
Caminhar pelo centro de Gramado é como estar em um outro país, mais precisamente em uma cidadezinha da Europa: ruas limpas, temperatura baixa, arquitetura europeia, verde e muitas flores. Passamos pela Igreja Matriz São Pedro, no coração de Gramado, outro local que não pode deixar de ser visitado.

Rua Coberta
Rua Coberta é um dos lugares mais visitados da cidade, possui vários restaurantes e bares muito agradáveis. Lá escolhemos o "Armazém do Bill" para ficarmos por algumas horas, descansar da caminhada e tomar alguns chopes. 

Cascata do Caracol (Canela - RS)
Depois da Rua Coberta fomos até a rodoviária e pegamos um ônibus para Canela. Lá chegando tomamos um taxi para outro local que não poderíamos deixar de visitar: A Cascata do Caracol, uma queda d'água de 131 metros localizada dentro do "Parque Estadual do Caracol", lugar de matas fechadas e natureza exuberante. A imagem fala por si.

Na nossa última noite na Serra Gaúcha fomos à tradicional Churrascaria Garfo e Bombacha em Canela para assistir o espetáculo "Noite Gaúcha." Por um valor fixo (caríssimo) o visitante tem acesso ao show onde os gaúchos vestidos a caráter apresentam danças típicas, músicas e tradições da cultura gaúcha. A comida é liberada. Imagino que muitos devem pensar algo como "vou comer tanto que vai ser prejuízo," mas isso não acontece. Uma mesa farta com diversos tipos de carnes e acompanhamentos é oferecida aos visitantes, mas depois do primeiro prato você já está empanturrado. Quem gosta de uma cachacinha se sente no paraíso pois a bebida é free. Uma espécie de adega com diversos tipos de cachaças está a disposição para os clientes degustarem à vontade. Mas eu percebi que o valor que se paga na Noite Gaúcha é na verdade pelo espetáculo, que é belíssimo e vale cada centavo. A comida fica em segundo plano.

Gramado e Canela possuem inúmeras opções, é impossível para qualquer visitante, a menos que fique por lá alguns meses, conhecer tudo o que essas cidades oferecem. E mesmo se isso fosse possível, seria muito difícil, além de cansativo para o leitor, colocar tudo em um artigo no blog. Insisto mais uma vez que quando escrevo sobre viagens a intenção nunca é fazer um "guia." Uma viagem é uma sucessão de escolhas muito particulares, tanto o destino como também os lugares a se visitar devem estar de acordo com as nossas preferências pessoais, só assim a viagem será prazerosa. Tenha os guias e relatos de viagens apenas como referências, mas nunca se prenda completamente a eles.

Leia também:

Buenos Aires

Varginha-MG a Roswell tupiniquim

Nenhum comentário:

Postar um comentário