17 janeiro 2018

Certidão de Penhora do Triplex comprova que imóvel não é de Lula



A juíza Luciana Corrêa Tôrres de Oliveira, da 2ª Vara de Execução de Títulos Extrajudiciais, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), concluiu que o famoso "triplex do Guarujá" pertencia à OAS, e passa a ser agora da empresa Macife, credora da empreiteira que faliu. 

As informações constam no Termo de Penhora do imóvel, com data de 5 de dezembro de 2017 divulgada em primeira mão pelo jornalista Mino Pedrosa em seu blog "QuidiNovi"

Na prática o documento comprova a inocência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a nove anos e meio de prisão sob a alegação de ser o verdadeiro dono do triplex e ter se beneficiado por reformas no imóvel.

A decisão da juíza contradiz a de Moro e deixa claro que um deles fez um julgamento equivocado.

Sobre a penhora o jornalista Marcelo Auler, que também repercutiu o documento em seu blog, observa:

Com isso, o triplex poderá ser levado a leilão. Mas o fruto desta “venda” não se destinará ao suposto “corrupto” condenado pelo juiz de Curitiba. Tampouco reverterá aos cofres públicos. Sua comercialização servirá para ressarcir parte dos títulos apresentados pela Macife S/A Materiais de Construção que foram endossados pela OAS Empreendimentos S/A, em 2010. [  ] O réu se verá condenado pelo crime de ter se deixado corromper por um triplex do edifício Salinas, no Condomínio Solaris, no Guarujá, que nunca lhe pertenceu, do qual jamais usufruiu e que poderá ir a leilão para ressarcimento de uma empresa da qual ele jamais deve ter ouvido falar. Como explicar tal condenação?

Confira os documentos:

Certidão da Penhora do Triplex em favor da Macife S/A




Pedido de Penhora do Triplex pela


Nenhum comentário:

Postar um comentário