17 abril 2018

Governador Robinson Faria entra na campanha para reeleição

Governador Robinson Faria nos estúdios da Rádio Difusora (Foto: Allan Erick)
Depois de várias passagens relâmpago e anônimas por Mossoró e Região, o Governador Robinson Faria (PSD) fez uma visita alongada (e divulgada previamente) à capital do Oeste Potiguar na segunda-feira (16). Oficialmente o governador veio cumprir agenda administrativa, ou seja, prestar contas de sua administração e visitar obras em andamento, mas um olhar mais atento nos compromissos de Robinson revelam um objetivo latente: Melhorar a sua imagem, desgastada por uma gestão repleta de problemas e abrir espaço para a sua candidatura a reeleição.

A manhã do Governador foi inteiramente dedicada a entrevistas em emissoras de rádio da cidade. Entre 09h e 12h foram três participações nas rádios Difusora AM, FM 93 (Resistência) e FM 95 (TCM), respectivamente. O que se viu foi um Robinson Faria seguro, bem preparado e que levava consigo uma pasta com estatísticas e informações sobre ações e obras do seu governo. O material era consultado pelo Governador a cada questionamento feito pelos seus entrevistadores. Se saiu muito bem, diga-se.

Sem falar de política, mas falando...

Em relação a sua candidatura, Robinson adotou o discurso da "política em segundo plano" e insistiu que não está preocupado com as seu futuro político, que quem vai decidir isso é o povo. Ele afirmou que pretende manter um diálogo com os norte-riograndenses e só então decidirá sobre sua candidatura já que, como disse várias vezes, tem como principal objetivo cumprir com as suas obrigações de governador. 

O chefe do executivo potiguar também sinalizou positivamente em direção à prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP) e chegou a afirmar, sem meias palavras, que uma aliança com a pepista depende só dela.

A estratégia adotada por Robinson não é nova, ao contrário, é um clichê. O político com baixa popularidade que em ano de eleição resolve mostrar serviço, ao mesmo tempo em que mantém a sua candidatura em aberto, condicionando-a ao "anseio popular."

Seja como for, ela parece ter funcionado nessa primeira investida. Robinson já parece mais "leve" aos olhos de seus críticos. Preparou-se muito bem e conseguiu se impor diante dos entrevistadores, fez elogios, mandou recados e, pelo menos nas entrevistas, conseguiu convencer o ouvinte de que o seu governo, afinal, não é tão ruim como se pinta. Tudo isso "evitando" falar de política.

Não há como deixar de reconhecer o gol de placa de sua assessoria e equipe de marketing.

Nenhum comentário:

Postar um comentário